Mensagens

Flashback – Inscrição na Consulta de Saúde Materna

O centro de saúde que sou seguida tem algumas peculiaridades, toda a gente sabe, razão pela qual eu nunca me tinha inscrito até ter precisado. Desde ter muitos utentes (e portanto muitos não terem médico de família), a ter de se ir fazer fila às 6h para se ter uma consulta de urgência, não ter um edifício próprio (sim, funciona num prédio sem elevador) ou ao facto de não atenderem os telefones, muitos são os factores que me levaram a ter medo de ir lá. Mas, uma vez grávida não havia volta a dar, tinha de enfrentar o touro pelos cornos. Já aqui falei das histórias do me ter ido inscrever no centro de saúde, ter usufruído das consultas de planeamento familiar e ter tentado marcar consulta de Saúde materna mas ter ficado com uma consulta normal para me passarem o beta e a ecografia para comprovar a gravidez. Hoje venho falar da 2ª tentativa de inscrição na Consulta Materna. Portanto, recapitulando, eu chegar lá e dizer que estou grávida, não é motivo suficiente para eles “acreditarem” e me…

Flashback - A 1ª Ecografia

Geralmente quando alguém diz que vai ser apenas acompanhada pelo SNS (seja no centro de saúde, seja maternidade ou ambos), uma das coisas que nos dizem logo é: “oh, mas assim só fazes 3 ecografias!!!”. Pois, e há países em que se fazem menos. Racionalmente, “só” fazer 3 ecografias é bom sinal, significa que a gravidez está a correr bem e que não precisamos de fazer mais para fazer um controlo mais apertado. Mas para nós, em que a ecografia é o único momento em que podemos “cuscar” o bebé dentro da barriga e, principalmente no início, a única maneira que temos de confirmar que realmente está tudo bem (pois ainda não o sentimos e muitas vezes a barriga ainda não começou a crescer), fazer mais ecografias significa descanso. Por isso muitos casais preferem ser seguidos pelo privado onde fazem mais ecografias, muitas só para dar uma espreitadela a ver se continua tudo ok. Ora a primeira ecografia principal, a ecografia do 1º trimestre, só deve ser feita por volta da 13ª semana, ou seja, no f…

Baixa e Peripécias na Consulta

Quando anunciamos que estamos grávidas ou quando as pessoas descobrem pois a barriga já não dá para esconder mais, há uma série de questões que nos são colocadas: Quando nasce/estás de quantos meses? É menino ou menina? Como se vai chamar? É o primeiro? No entanto para uma trabalhadora, principalmente alguém que passa muitas horas de pé num vai-e-vem acelerado, outra questão me colocaram muitas vezes: Quando vais de baixa? Não estamos a falar de uma baixa por doença ou porque a gravidez precisa de ser mais vigiada que o normal, como quando acontece por haver descolamento da placenta, sangramentos, risco de aborto, restrição de crescimento ou mesmo diabetes gestacional. Estou mesmo a falar na baixa "para ir descansar". E a quantidade de vezes que me puseram essa questão levou-me a pensar, então mas o que foi feito ao "gravidez não é doença"? Já ninguém espera que uma grávida consiga passar os 9 meses bem, com a sua actividade normal? Dito isto, também não sou uma …

Contracções (de treino)

Hoje vou falar numa preocupação de agora (30 semanas) para variar um pouco dos flashbacks. Neste caso sobre a minha saga com as contracções Braxton-Hicks. Tudo começou numa consulta de rotina, por volta das 22 semanas, onde a médica me pergunta, entre outras coisas, se tenho contracções. Resposta imediata “não”. Mas fiquei avisada que a partir daquela altura poderia começar a senti-las. Depois comecei a ouvir outras grávidas a comentar que sentiam as contracções (umas mais, outras menos), ficavam com a barriga muito dura durante uns segundos e depois passava. Pois, barriga dura tenho eu sempre. Antes dela começar a crescer, o sinal que deu que algo se estava a passar, foi eu começar a ficar com ela muito quente e muito dura. Parecia que tinha desenvolvido abdominais de aço. Ainda agora, em que ela já está grandinha, continua muito dura (pelos vistos tinha uma boa parede muscular). Portanto, não, nunca senti a barriga MAIS dura. Mas fiquei com a pulga atrás da orelha. E comecei a reparar …

Flashback: Náuseas, vómitos e desejos

No post anterior sobre a alimentação, esqueci-me de falar deste tema… muito provavelmente porque não passei por ele. A teoria do comer saudável é toda muito bonita, mas quando os vómitos atacam em força, é um “salve-se quem puder”, e nós comemos não aquilo que é melhor para nós e para o bebé, mas aquilo que efectivamente conseguimos comer sem ir fora a seguir. E não há que ter vergonha disso ou de nos culpabilizarmos. Temos de nos alimentar, e se aqueles legumes cozidos com o peixe assado vão fora e o bife com batatas fritas aguenta-se bem, então venha daí esse bife! Pessoalmente não tive grandes problemas com isso. Posso dizer que estive perto de vomitar 2 ou 3 vezes mas respirando fundo a coisa aguentou-se (pronto, quando estava quase a vomitar devido a cheiros mais agrestes, aí o respirar fundo não funciona tão bem, como devem calcular). Já com as náuseas passei um bocadinho pior. Descobri que se ficasse mais de duas horas sem comer, me começava a sentir mal disposta. Portanto, para m…

Flashback: Preocupações Alimentares

Quando uma mulher descobre que está grávida, fica logo com mil e uma preocupações acerca de tudo e mais alguma coisa (ou pelo menos assim devia ser). O que é que pode e não pode fazer nesta nova fase da sua vida. E se há coisas que são mais óbvias e mais faladas (não beber álcool, fumar, consumir drogas...) outras já dão mais dores de cabeça, como o que se pode ou não comer. É que parecendo que não, não é um assunto consensual. Os próprios médicos e nutricionistas têm opiniões que às vezes são divergentes e se vamos comparar essas informações mais oficiais com as que lemos na internet ou noutros meios de comunicação social, ficamos com um nó na cabeça. E portanto, cá estou eu a escrever sobre isto para ser mais um artigo de Blog sobre um tema já muito debatido e que não vai dar mais nenhuma informação útil, apenas relatar a minha experiência. Vamos começar com a maior fonte de preocupações acerca da alimentação, a toxoplasmose. A toxoplasmose é uma doença infecciosa transmitida por um p…

Workshops e "Cérebro de Grávida"

Imagem
Um dos conselhos que me deram enquanto grávida, foi para aproveitar e fazer workshops sobre variados assuntos de maternidade, pois são uma boa ajuda e fonte de informação sobre o que aí vem, e ainda há a benesse que serem patrocinados por algumas marcas que nos podem dar amostras e miminhos.
E não, não é só por causa das prendas, mas temos de pensar que elas de facto dão uma ajuda e até porque poder experimentar produtos é muito bom para nos decidirmos a comprar coisas.
Ora, eu sempre adorei workshops e palestras e coisas do género e portanto sempre pensei que era coisa que queria fazer. Mas no inicio da gravidez não me sentia muito à vontade para me pôr no meio das grávidas, parecia que estava infiltrada. Planeei que a altura de Agosto/ Setembro devia ser o melhor para o fazer, pois já iria a meio da gravidez.
Primeiro de tudo, andei a fazer "pesquisa de mercado" para ver onde poderia encontrar tais workshops. Com o pesquisar de tantas coisas sobre bebés, foram aparecendo …